Dicas para não tiltar quando tomar uma bad beat

Home » Blog » Dicas para não tiltar quando tomar uma bad beat

BLOG

March 29, 2022 3:20 pm

Dicas para não tiltar quando tomar uma bad beat

Jogadores profissionais já jogaram milhões e milhões de mãos e já viram quase todo tipo de resultado que se pode imaginar. Esta experiência os caleja a tal ponto que, eventualmente, eles são obrigados a aprenderem a lidar com as inevitáveis bad beats.

Uma característica do poker é que não existe uma mão completamente invulnerável. No entanto, ocasionalmente, o turn ou o river causam uma enorme mudança de sorte para os jogadores envolvidos no pote. Esse resultado inesperado está no centro das bad beats, a principal responsável pelos tilts no poker.

O que é uma bad beat?

Uma bad beat no poker é quando um jogador com uma mão forte e franca favorita para vencer perde para um jogador com uma mão mais fraca que acertou uma ou mais de uma carta de sorte.

Se você perder o controle toda vez que alguém acertar uma carta improvável no river para ganhar uma mão, você não terá uma carreira de poker divertida – ou lucrativa. Aprender a controlar suas emoções é a chave para seu sucesso como jogador de poker, para jogadores de cash games ou especialistas em torneios.

Não há nada pior do que investir várias horas em um torneio, chegar perto da mesa final e perder 70-80% do seu stack para algum “fish” que arriscou todas as suas fichas perseguindo um flush ou uma sequência sem odds corretos. O mesmo pode ser dito em relação a jogadores de cash game que estão em uma mesa há horas, acumulando uma enorme pilha de fichas e depois perdem para um donk que pagou seu all-in no turn com um gutshot e acertou a broca no river.

Isso realmente é muito frustrante, contudo, faz parte do poker e, como você já deve ter lido milhares de vezes, é o principal elemento que faz os jogadores perdedores continuarem jogando. Sim, neste artigo você irá aprender que deve ficar feliz pelas bad beats existirem porque são elas que tornam o poker lucrativo, alimentando o ímpeto de jogadores recreativos em fazerem jogadas ruins.

E sim, por mais que eu e você saibamos disso, aparentemente alguma parte do nosso cérebro ainda não aceitou a realidade e vive se frustrando com ela. Entretanto, apesar disso, em algum ponto da carreira de um jogador, ele terá que aprender a não deixar essa frustração afetar seu jogo, e é exatamente isso que vamos lhe ensinar.

Lidando com bad beats

Como sabemos, as bad beats só ocorrem porque um jogador fez uma jogada estatisticamente ruim, mas isso é apenas um dos diversos paradoxos que existem no nosso esporte da mente. É preciso aprender a lidar com os maus momentos, porque, indiretamente, eles também são responsáveis pelos bons.

É difícil lembrar disso quando uma bad beat acontece, mas o que você realmente quer na sua mesa são jogadores que estejam dispostos a arriscar um monte de fichas perseguindo um gutshot. A longo prazo, isso é extremamente benéfico.

Aprender a lidar com suas emoções é fundamental. Quando você joga uma mão perfeitamente e seu oponente acerta um two-outer no river, você só precisa deixar esquecer isso e continuar focando no seu jogo. Se você deixar uma bad beat afetar suas próximas mãos, suas perdas podem ser ainda maiores, e aí não vai ser mais culpa da bad beat, mas sua.

A primeira parte de lidar com bad beats é perceber que funciona nos dois sentidos. Acompanhe quantas vezes você acertou uma carta no turn ou no river para ganhar uma mão. É claro e evidente que em algum ponto elas também lhe beneficiaram. Saber que isso já aconteceu ao seu favor irá ajudá-lo a entender que as cartas não estão contra você, afinal, as cartas não tem sentimentos nem escolhas.

Como lidar com as bad beats quando elas acontecerem

Sabemos que as emoções são algo que transcendem a racionalidade humana e que às vezes elas podem tomar conta de nós. No entanto, através de muita orientação e disciplina, é possível tê-las sob o seu controle. É exatamente disso que um jogador de poker precisa para não tiltar quando sofre uma bad beat e é exatamente isso que nós iremos lhe ensinar:

1 – Lembre-se de respirar fundo logo após a bad beat ocorrer

O primeiro passo a tomar quando a zebra acontece é levantar-se do computador, respirar fundo e contar até dez. Se necessário, pode até fazer uma pausa auto-induzida. O importante aqui é que você se condicione a fazer isso imediatamente após tomar uma bad beat, para que essa frustração não tenha tempo de se instalar. Ao invés de xingar ou gritar, ensine o seu instinto a respirar fundo e torne essa a sua primeira reação.

Se necessário, tome um copo de água, vá escovar os dentes ou faça uma pequena tarefa rápida para tirar sua mente do suckout e focar em outras coisas. Com o tempo, seu cérebro irá aprender que isso não é algo tão importante.

Não precisa nem clicar no botão de “Sit Out”, apenas deixe seu banco de tempo expirar. Se você está no meio do torneio, você pode ter até 90 segundos ou dois minutos de time bank, o que significa que você pode fazer uma pausa de 3-4 minutos e provavelmente não perder mais do que duas ou três mãos, algo que certamente vale a pena visto que isso pode evitar que você perca mais fichas de forma duvidosa tentando recuperar as que acabou de perder.

Quando você se sentir acomodado novamente, sente-se novamente e continue a jogar. Se estiver jogando ao vivo, saia da mesa, vá ao banheiro e jogue água fria no seu rosto. Mande uma mensagem para um amigo sobre o donk ao seu lado e depois volte para a mesa pronto para jogar como se nada tivesse acontecido.

2 – Ligue o “modo tight” ainda que esse não seja seu estilo de jogo

Muitos jogadores quando tomam uma bad beat, se forçam a ficar mais tight por algumas mãos e só jogam monstros, como AA/KK/QQ ou AK/AQ, até que a vontade de enfiar todas as suas fichas na mesa passe.

Esta não é uma estratégia ruim, mas é preciso estar no estado de espírito certo. Basta entender que após uma bad beat ocorrer, muito provavelmente você não estará mais no seu A-game e, logo, não tem como tomar as decisões boas que costuma tomar jogando um range maior. 

Esse ato não só evita de você tomar decisões ruins, mas também vai, aos poucos, lhe deixando mais humilde e criando mais consciência de que quando isso acontece, “você não é mais você”, e vai precisar de um tempo para se recompor e jogar o beabá do poker até voltar ao pico do seu estado mental.

3 – Foque no processo

Outra dica é focar mais no processo do que nos resultados. Por exemplo, digamos que você foi all-in pré-flop com QQ contra um jogador com QJ do mesmo naipe. Você conseguiu se colocar em uma situação em que tinha mais de 80% de chances de ganhar a mão, o que é excelente e significa que você cumpriu sua missão.

Dessa forma, é inevitável que você lembre que, se você foi bom o bastante para se colocar em uma situação onde tinha 85% de vencer a mão, é porque alguém foi ruim o bastante para se colocar em uma que tinha apenas 15%. E se essa pessoa fez isso é porque esses 15% são reais. Eles precisam acontecer de vez em quando.

Em outras palavras, isso vai acontecer, é a variância. O que importa é o processo. Em momentos como esses, você deve se perguntar: “Eu fiz a jogada certa?” 

A resposta na maioria esmagadora das vezes vai ser: sim! Apostar tudo quando se é 80% favorito nunca é uma jogada ruim, independentemente dos resultados. Não deixe que a variância prejudique sua confiança, e também não deixe que isso tire sua concentração.

A sorte corre nos dois sentidos. Não é habilidade sua quando você acerta um out no river. E não é falta de habilidade sua quando seu oponente faz o mesmo. É apenas poker. Quanto mais rápido você aprender a lidar com suas emoções após uma bad beat, mais rapidamente você se tornará um jogador lucrativo.

4 – Rejeite ativamente a ideia de ser tomado pelo tilt

É preciso identificar os estágios do tilt e evitar que eles evoluam e tomem conta de você. O primeiro sinal certo de que você está entrando em “tilt”é quando você sente a necessidade de repreender o jogador que acabou de te dar um suckout. Se você sentir esse desejo, ligue o alerta

Claro, você pode se sentir temporariamente melhor chamando seu oponente de donk ou fish, mas isso só vai mostrar uma falta de autocontrole, não só à mesa, mas a você mesmo. Se for uma emoção muito forte, basta digitar o que você quer dizer na caixa de bate-papo e apagar logo depois, substituindo-o por um “nice hand”. Isso é para mostrar a si mesmo que quem está no controle é você.

Afinal, a atitude mais racional possível é recompensar e elogiar o jogador que faz jogadas estúpidas, pois a longo prazo, ele está te dando dinheiro. Não sair xingando nem falando besteira vai fazer você se sentir melhor consigo mesmo e ajudar as boas vibrações a voltarem ainda mais rápido.

Isso significa que as chances de tilt acabaram, certo? Errado! Elas ainda continuam, mas estão apenas mais fracas, e muito provavelmente em forma de pensamentos como: “As cartas estão contra mim” ou “O flop não me ajuda” ou “Agora minhas chances nesse torneio já eram”. A melhor maneira de exterminar esses sentimentos é ter a convicção dentro de si mesmo que isso é pura balela.

Não existe nenhuma força mística que faça com que seus oponentes acertem constantemente o runner-runner flush para bater o seu set no flop. Isso simplesmente acontece. Quanto mais você joga poker, mais irá acontecer.

5 – Aceite a realidade o mais rápido que puder

Se existe uma frase que deveria ser um mantra para qualquer jogador que tomou uma bad beat essa frase é “aceita que dói menos”. Na psicologia, existe uma tese de que o luto possui cinco estágios: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. Quando se trata de tilt, o caminho é parecido.

Não adianta negar o fato de que você perdeu muitas fichas e ficar pensando que se você as tivesse, teria mais chances de vencer o torneio. Não adianta explodir com o jogador que te deu um suckout ou jogar mais agressivamente para extravasar sua raiva. Pior ainda é você tentar “barganhar” tentando ganhar uma mão ruim para recuperar as fichas que perdeu. E colocar-se em uma posição lamentadora em relação a si mesmo só vai atrair mais negatividade e sufocar a sua concentração.

Em vez disso, procure ter consciência desses estágios de tilt e vá caminhando em direção a aceitação. Vá superando essas etapas uma por uma, lembrando-se da realidade. Pense consigo mesmo: “Tomei uma fatiada, nada pode mudar isso. Não adianta negar que agora não tenho tantas fichas quanto antes e também não adianta ficar com raiva ou tentar recuperá-las de maneira estúpida. Tenho que me adaptar ao meu stack atual e conviver com isso”.

Treine seu cérebro a aceitar essa realidade o mais rápido possível. Afinal, em tese, bad beats não matam e não é sempre que elas te eliminam do torneio. A pior parte da bad beat é quando deixamos ela nos tirar do nosso foco de jogar bem e isso, por incrível que pareça, é opcional.

Fique ligado!

Oferecemos, com frequência, uma série de artigos que podem ser acessados gratuitamente em nosso blog, para que você se informe sobre os aspectos que envolvem casas de apostas e o universo do poker.

Além desse conteúdo gratuito, nós oferecemos uma cotação justa para que você possa adquirir fichas online, por meio de transações seguras e confiáveis, graças aos 11 anos de experiência que acumulamos no mercado.

Então, já sabe: sempre que precisar de créditos para começar sua própria carreira no poker, basta chamar a DM Créditos em nosso chat ou no WhatsApp!

Facebook | DM Créditos
Whatsapp: (31) 9 8472-3490