Tudo o que você precisa saber sobre o blefe no poker
Estratégia

Tudo o que você precisa saber sobre o blefe no poker

Home / Blog & News / Tudo o que você precisa saber sobre o blefe no poker
May 04, 2021 2:56 pm | por DM Créditos

Existem, certamente, muitas definições possíveis para o poker. Mas um aspecto do jogo é incontornável para qualquer análise: não temos todas as informações que precisamos. Se dar bem no poker, em grande medida, consiste em ler a mão de seu oponente enquanto procura disfarçar a sua. 

O blefe é uma das estratégias que nos ajuda a enganar os oponentes e a demonstrar uma força que na realidade não temos. O blefe é uma forma de convencimento. E é uma arte. Uma arte de ludibriar, de iludir. Se por um lado o blefe é um dos aspectos mais famosos do poker, por outro é um dos mais incompreendidos. 

Foi pensando nisso que nós, da DM Créditos, preparamos esse artigo para você. Aqui iremos trazer algumas definições básicas, dar dicas, indicar material de estudo e ainda por cima desmistificar alguns dos mitos que mais povoam o imaginário dos jogadores a respeito do blefe.   

O que é blefar no poker? 

Se pegarmos um dicionário qualquer, provavelmente teremos uma definição de blefe parecida com a que se segue: “ato ou efeito de blefar; fingimento, simulação, ardil”. O poker é um esporte que, como já vimos em outras ocasiões, a habilidade predomina com sobras em relação à sorte. 

Ter boas cartas na mão, não significa uma vitória certa. Da mesma forma, caso você saia com uma mão fraca, isso não necessariamente te impede de obter uma vitória e de lucrar. Essa inversão pode acontecer por muitas razões. Dentre elas, o blefe. 

Blefar é demonstrar uma força ou uma fraqueza que não corresponde à realidade das cartas que você possui. Ao longo do pré-flop, flop, river e turn, muita coisa pode acontecer: sua mão pode piorar ou pode melhorar. Mas quando você já tem uma noção de que suas cartas não possibilitam boas combinações e, ainda assim, acredita que pode tirar vantagem em relação aos oponentes, você blefa.

Você tenta enganar, ludibriar, amedrontar seu adversário. E isso é uma verdadeira arte. 

A maioria dos jogadores sabe que a aposta continuada é uma boa jogada na maior parte das vezes. Esse é um tipo de blefe muito didático. Normalmente, no turn, os jogadores tendem a balançar e avaliar sua situação no jogo. 

É a melhor hora de você tentar intimidar seus oponentes. Agora, passar pelo turn e tentar blefar no river é muito mais arriscado: o range de mãos com as quais você pode fazer isso é muito pequeno e dificilmente você enganará alguém. Mas lembre-se que o blefe não é uma ciência exata, diferentes situações, oponentes e estilos de jogo sempre serão determinantes na hora de blefar.   

Dicas para blefar no poker 

São três as razões principais que nos levam a blefar: ganhar potes que normalmente perderíamos; manter os oponentes com dúvidas a respeito da nossa mão; pressionar o adversário para sair da partida ou para apostar.

Ao blefar é muito importante você se esforçar para ler a sua situação. Para isso, faça a si mesmo algumas perguntas, do tipo: o que será que meu oponente tem? O que eles acham que eu tenho? Qual a minha posição? Qual imagem eu estou passando para a mesa? Quais os tamanhos das pilhas de fichas? Como está o board? 

São perguntas como essa que vão certamente direcionar seus movimentos, dependendo da resposta que você der a cada uma delas. Por isso separamos algumas dicas importantes para você:

Tente blefar com um stack médio

Essa dica é muito importante. Se você decide blefar com grandes quantidades de fichas, seu oponente pode interpretar que a sua situação é muito confortável no jogo e que você ativou o modo “loose”. Com poucas fichas demais, o blefe pode ser interpretado com um ato de puro desespero. 

Os momentos ideais para blefar costumam ser aqueles em que você está com um pode de fichar mediano, o que torna a leitura do seu jogo relativamente mais difícil. Essa e outras atitudes podem decidir o seu sucesso no blefe. Por exemplo:

1. Tentar blefar com poucos jogadores aumentam as chances de seus oponentes caírem no blefe;

2. A melhor opção é não blefar logo no começo da partida, pois as apostas iniciais não valem o risco que você vai correr, pois o pote será pequeno;

3. Tente sempre estar atento ao que acontece na mesa, observando principalmente a atitude e as expressões de seus adversários.

Antes de blefar com frequência, procure construir uma reputação 

Calma, não se assuste. Não queremos dizer aqui que você deve blefar apenas com uma reputação no poker, que fale por você e imponha respeito. Não é isso. Estamos falando aqui da construção de uma imagem. Estamos falando sobre o que o seu oponente pode estar pensando de você mais do que sobre o que você de fato é.

Se você blefar demais em uma partida, as chances de seus adversários caírem no seu blefe diminuem bastante. Não deixe o óbvio transparecer. Não transpareça emoções verdadeiras, seja de confiança ou de medo. Manipule o que você está sentindo e o que você demonstra, pois assim você também manipula o seu oponente.

Ter o controle de suas emoções te ajuda a interpretar as emoções de seus jogadores. Com muita prática, você pode inclusive descobrir quem está blefando. Quanto menos você revela sobre o seu jogo, mais chances existem dele ser bem-sucedido.

Uma boa tática para não ser descoberto é adotar posturas diferentes durante uma mesma partida. Você pode começar o jogo de forma mais retida e, aos poucos, adotar uma postura mais agressiva e confiante. Sempre pensando que algum oponente pode estar usando uma estratégia parecida. 

O blefe tem propósito. É uma técnica que precisa ser bem pensada e bem executada para dar certo.

Induza o seu adversário a blefar

Como assim? Bem, em certas ocasiões, defender é uma forma de atacar. Ao tentar fazer, com os devidos cuidados, o seu oponente blefar, você pode extrair uma boa quantidade de fichas dele. Mas lembre-se disso: é mais interessante tentar induzir os jogadores agressivos ao blefe. 

Mas como fazer isso? Uma das formas consiste justamente em tentar adivinhar as cartas que o seu oponente possui. Jogadores mais experientes focam em tentar descobrir apenas uma mão, mas é aconselhável pensar no range de mãos de forma mais ampliada. 

Aprenda a utilizar os semi-blefes 

Esse caso é um pouco diferente. Os semi-blefes são apostas realizadas quando você ainda não tem uma mão formada, mas tem boas chances de construir uma combinação forte. Com eles, você pode ganhar de duas maneiras: induzir seu adversário à desistência e conseguir tirar as cartas que precisa para fazer boas combinações.

Não deixe de praticar

Essa dica é óbvia, mas não menos importante: conheça a teoria e tente aplicar os seus conhecimentos na prática. Entre em boas salas de poker e treine o que você aprendeu. O tempo de jogo minimiza os erros e te ajuda a melhorar aspectos importantes, como a leitura e interpretação da mesa, dos adversários e da partida.

Você precisa, antes de começar a blefar para valer, entender duas coisas: como diferentes jogadores se comportam na mesa diante do blefe e qual o seu perfil de jogo. Nunca fuja disso, da sua essência e de suas características de jogo. A forma como você blefa deve estar ajustada ao seu estilo de jogo.

Não tenha medo de blefar

Não blefar por insegurança e por medo é algo que não pode acontecer. O blefe é um aspecto essencial para um bom desempenho no poker. Essencial. Muito necessário para ganhar partidas improváveis.

Comece com prudência, respeite seus tempos e seus limites, aprenda com os seus erros. Mas não tenha medo de blefar. Com estudo e prática você pode entender melhor a sua personalidade e qual forma de blefe combina com você, quais os tempos ideais para blefar. E não desanime se você perder nas primeiras vezes. Os erros fazem parte do processo de aprendizagem.   

Três mitos sobre os blefes

1. Blefar é uma opção

Existem certas circunstâncias de jogo em que você necessariamente precisará blefar. Nem sempre é uma escolha. Pense na seguinte situação: você está jogando em uma mesa em que ninguém blefa. Tudo fica muito simples. Você aposta quando tem cartas e vai foldar quando não tem. O jogo ficaria previsível, os limites seriam estritamente respeitados. Isso não é poker!

Blefar faz parte do poker. É o coração do jogo. Se não estamos blefando nunca, nossa estratégia não está correta e podemos enfrentar sérias dificuldades contra adversários mais competentes do que nós. Blefar, dessa forma, é importante em todos os limites.

2. Blefar sempre requer grandes apostas e grandes riscos

Blefar em all-in é uma das maiores emoções que o poker pode proporcionar e isso tem lugar em certas ocasiões muito específicas. Mas esse tipo de blefe é muito raro quando comparamos aos pequenos blefes que acontecem ao longo de uma partida. A maioria deles são pequenos e em situações em que os adversários não demonstram muita sede pelo pote. 

Normalmente, as ações dos adversários revelam o interesse deles no pote. Por isso é importante saber ler o jogo e procurar os sinais de fraqueza.

3. Blefes fracassados não geram lucros 

Qualquer jogador que se preze já se sentiu frustrado quando o adversário chama o blefe apressadamente com um par baixo, por exemplo, ou em outra situação em que claramente ele deveria desistir, pela lógica. 

Sabe o que é legal? Os blefes não precisam funcionar sempre para serem lucrativos. Existe uma fórmula muito simples que ajuda a calcular com que frequência um blefe do poker precisa funcionar para que se ganhe algum dinheiro. 

Basicamente, pode-se dizer que o percentual total que foi investido no pote é igual ao percentual de tempo que o blefe precisa para dar certo. Isso quer dizer que o blefe precisa funcionar apenas 33% do tempo para dar certo. 

Sério? Sim, sério. Pense só: você consegue imaginar uma situação em que o adversário chama 65% do tempo quando blefamos? É quase intuitivo parar de blefar quando perdemos algumas vezes. Porém, o fato do nosso blefe funcionar pouco mais de 30% das vezes quer dizer que estamos gerando lucro onde normalmente perderíamos. 

Uma dica de leitura: “O livro dos blefes” 

Para você aprimorar ainda mais os seus estudos sobre o blefe, não poderíamos deixar de indicar um dos maiores clássicos sobre o assunto: o “The book of bluffs”, lançado em 2005 por Matt Lessinger. É certamente um dos grandes clássicos sobre o assunto, com 11 capítulos ilustrados com exemplos de mãos e entrevistas com jogadores que praticam os melhores blefes no poker atualmente. 

Se quer saber mais sobre esse livro é só clicar aqui, temos um artigo prontinho esperando por você.       

Conclusão

Oferecemos, com frequência, uma série de textos que podem ser acessados gratuitamente em nosso blog, para que você se informe sobre os aspectos que envolvem casas de apostas e o universo do poker.

Hoje falamos sobre os aspectos mais relevantes em torno do blefe, selecionando algumas definições, dicas e desmistificando alguns aspectos inerentes a esse conceito. Nossa esperança é que esse artigo ajude a melhorar o seu jogo!

Além desse conteúdo gratuito, nós oferecemos uma cotação justa para que você possa adquirir fichas online, por meio de transações seguras e confiáveis, graças aos 11 anos de experiência que acumulamos no mercado. Por isso, o que precisar é só chamar a DM créditos que te ajudamos a fazer as escolhas mais seguras!